A pele do idoso precisa de cuidados especiais?

25 de fevereiro de 2021

Você sabia que o número de pessoas idosas tende a crescer cada vez mais não só no Brasil, mas também em todo o mundo? Dados apresentados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) indicam que até 2050 o número de idosos chegará a 2 bilhões – o que seria equivalente a um quinto de toda a população do planeta Terra.

A pele do idoso precisa de cuidados especiais?

O envelhecimento da pele é um processo que se dá de forma natural, assim como o envelhecimento do resto de todo o corpo, mas que pode ser agravado por estímulos externos. Muita exposição ao sol, maus hábitos (bebida, cigarro e má alimentação) e estresse são fatores que colaboram para intensificar o aparecimento de rugas, a flacidez, a perda do brilho e do aspecto saudável da pele.

Fora os fatores externos que influenciam no processo de envelhecimento da pele, o que acontece de forma natural são os fenômenos de glicação e oxidação. A glicação é a degeneração das estruturas que promovem a sustentação da pele, o colágeno e a elastina. Já a oxidação é um processo que ocorre nas membranas celulares, danificando seu funcionamento e metabolismo. As transformações da pele também incluem o ressecamento e a sensibilidade, inevitáveis com a chegada da idade e que podem desencadear dermatites. Para cuidar da pele idosa são necessários alguns cuidados especiais:

Cuide todos os dias
Os cuidados diários exigem pequenos esforços, mas seus efeitos são grandiosos.
Para não agredir a pele, evite esponjas e banhos quentes e longos e prefira sabonetes neutros.

Hidrate
Após o banho, use sempre um creme hidratante para repor a gordura e a água perdidas no banho. A perda de água é também uma característica do envelhecimento da pele. Isso faz com que a hidratação seja essencial durante esse processo: além de formar uma barreira que impede a perda excessiva de água, ainda protege contra os agentes externos que podem causar irritações e eczemas.

Uma pele muito seca tem mais propensão à formação de microfissuras, que facilitam a entrada destes agentes externos. Por isso, também é sempre bom lembrar de hidratar a pele após o banho: o processo de limpeza com sabonetes e água pode acabar retirando não só as células mortas e a sujeira, mas também a gordura boa da pele, deixando-a mais seca e desprotegida.

Procure por produtos de qualidade e que tenham a função específica de cuidado e manutenção de peles secas e sensíveis e que protejam contra os raios solares, por exemplo, o Umiditá Rosto Creme-Gel. Ele é um produto multifuncional para uso diário, de formulação leve e fácil espalhabilidade, capaz de recuperar a barreira de proteção da pele e reter água para manter a hidratação. Perfeito para peles sensíveis, ainda é recomendado para peles que se encontram sensibilizadas após peeling.

Tchau, açúcar!
A glicação pode ser intensificada por altos índices de glicemia. Evite consumir alimentos que possuem muito açúcar e que elevem o índice glicêmico.

Hábitos saudáveis
Manter o corpo saudável significa se alimentar de maneira correta, beber bastante água e evitar maus hábitos como o tabagismo e o alcoolismo, que influenciam diretamente na produção de colágeno da pele.

Esse conteúdo foi produzido com fins informativos e não substitui, de forma alguma, a consulta com um profissional da área.

 

Referências

Sociedade Brasileira de Dermatologia. Cartilha de cuidados com a pele da pessoa idosa [internet]. Acesso em 9 fev 2021. Disponível em: https://www.sbd.org.br/mm/cms/2019/03/18/cartilha2sbd-cuidados-da-pessoa-idosasite.pdf

Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional São Paulo. Oito fatores que aceleram o envelhecimento cutâneo [internet]. Acesso em 9 fev 2021. Disponível em: https://www.sbd-sp.org.br/geral/oito-fatores-que-aceleram-o-envelhecimento-cutaneo/

Jornal da USP. Em 2030, Brasil terá a quinta população mais idosa do mundo [internet]. 7 jun 2018 [acesso em 9 fev 2021]. Disponível em: https://jornal.usp.br/atualidades/em-2030-brasil-tera-a-quinta-populacao-mais-idosa-do-mundo/

 

Compartilhe