Banho quente e dermatite atópica não combinam

23 de maio de 2016

Aumentar a temperatura da água do banho durante o inverno é uma prática bastante comum. Porém, para quem convive com a dermatite atópica, além de evitar a água quente, é preciso adotar outras medidas na hora do banho para evitar as crises.

Vale lembrar que essa é uma doença de pele crônica e não contagiosa que cursa em paralelo com outras doenças alérgicas como a asma e a rinite alérgica. Surge nos primeiros anos de vida onde as lesões são avermelhadas e descamativas e localizam-se na face, tronco e superfícies externas dos membros. Nas crianças maiores e adultos, as lesões são secas, escuras e localizam-se nas dobras do corpo.

  • Tome banhos rápidos de, no máximo, 5 minutos.
  • A temperatura deve ser morna ou fria.
  • Não use buchas ou esfregue a pele.
  • Utilize um sabonete recomendado pelo dermatologista e evite passa-lo nas áreas afetadas.
  • Ao secar, não esfregue a toalha na região afetada.
  • Use e abuse do hidratante hipoalergênico logo após secar a pele (consulte o dermatologista para escolher o melhor produto). Lembre-se: ele é a base do tratamento pois existe uma alteração na barreira natural da pele.
  • Evite o uso de talcos, principalmente nas crianças com histórico de alergia.

Compartilhe