Dermatite atópica: sintomas e cuidados

24 de julho de 2020

A dermatite atópica é um dos tipos de alergia cutânea mais comuns. Ela acontece em pessoas com predisposição genética, que nascem com a pele mais ressecada e com uma tendência a apresentar inflamações crônicas, isto é, por um longo período da vida. A doença não é contagiosa e costuma acontecer em várias pessoas de uma mesma família. As pessoas que manifestam a dermatite atópica, com alergias na pele, também podem manifestar alergias no sistema respiratório, como bronquite e rinite alérgicas.

Sintomas e causas
O primeiro fator que causa a dermatite atópica é o fato de que a pele das pessoas com essa condição é sempre mais seca e não tem uma função de barreira de proteção adequada, deixando agentes irritantes atravessarem a pele e causarem inflamação. As crises da dermatite podem ser desencadeadas por fatores diversos, como exposição a suor, pólen, mofo, ácaros ou animais, contato com materiais ásperos ou alguns tipos de tecido, condições ambientais irritantes à pele, fragrâncias ou corantes adicionados a produtos de higiene pessoal ou limpeza geral e até alimentos. E há ainda a coceira desencadeada por estresse psicológico.

Os sintomas e sinais da crise de dermatite atópica incluem coceira intensa com repercussões como prejuízo do sono e da performance na escola e trabalho, vermelhidão, ressecamento da pele, crostas e fissuras, e, em casos mais graves, feridas que eliminam água ou pus, o que pode ser sinal de infecção secundária por bactérias ou vírus.

Rotina de cuidados com a pele para prevenção da dermatite atópica
A pele de quem tem dermatite atópica tem tendência a presentar lesões e inflamações e é muito sensível, além de ser sempre ressecada. Os cuidados com essa pele sensibilizada devem ser contínuos, visto que isso é uma condição com a qual a pessoa nasce e vai ter por um período de muitos anos.

Dessa forma, os maiores objetivos do tratamento da dermatite atópica são a restauração da hidratação da pele ressecada, o que consequentemente melhora a função de barreira da pele e diminui as crises da dermatite e suas manifestações como a coceira e as lesões. Para restaurar a hidratação, a pessoa com dermatite atópica precisa fazer uso contínuo de um “medicamento” preventivo conhecido como hidratante funcional. Sim! O hidratante, além de tratar os pontos mais secos da pele, promoverá também um fortalecimento da barreira da pele e auxiliará a evitar a penetração de agentes irritantes e alérgicos ambientais.

Outra informação relevante para uma rotina de cuidados diários para a pele com dermatite atópica é sobre: evitar ressecar ainda mais a pele que já é ressecada. O hábito que mais pode ressecar a pele diariamente é o banho: banhos quentes devem ser substituídos por duchas frias ou mornas para que a água quente não resseque ainda mais a pele afetada. O uso de sabonetes especiais, líquidos e brancos, também pode auxiliar tirar menos da gordura boa da pele e manter o pH equilibrado.

Em resumo, para o tratamento e prevenção da dermatite atópica, o uso de hidratantes funcionais se faz obrigatório além de ser uma medida muito eficiente, simples e prática para adicionar na rotina de cuidados diários. Contudo, vale lembrar de que problemas e tratamentos de saúde devem ser feitos sempre sob supervisão e orientação médica. Sendo assim, caso você tenha algum sintoma de dermatite atópica, procure um dermatologista.

Fonte:
https://bit.ly/3iduOdQ
https://bit.ly/31qtChq
https://bit.ly/2NCzyf6
https://bit.ly/2VuP9Sk

Compartilhe