Mitos e verdades sobre Dermatite Atópica

11 de novembro de 2019

Resultado de uma combinação de genética e ambiental, a dermatite atópica é uma doença crônica, não contagiosa e multifatorial que afeita de 10 a 15% da população mundial. Ela se manifesta por meio de lesões avermelhadas na pele, além de um alto grau de ressecamento – tendo como principais sintomas a coceira, aspereza da região e, eventualmente, ardência.

Em mais da metade dos casos, é identificada logo na infância e, com o devido tratamento e monitoramento, pode ficar sob controle e o paciente apresentar uma boa qualidade de vida a despeita da condição.

Apesar disso, a doença ainda é cercada por algumas dúvidas – e a parte mais importante no combate ao preconceito é a conscientização. Conversamos com a Dra Paula Ferreira, médica dermatologista, que desvendou para nós alguns mitos e verdades sobre a Dermatite Atópica. Confira:

A dermatite atópica é passageira e não precisa de tratamento contínuo?
Mito. Tão importante quanto o tratamento dos sintomas em épocas de crise, a prevenção é muito importante. Manter a pele hidratada no dia a dia com os produtos certos é uma forma de tratar continuamente a Dermatite Atópica.

Pacientes com dermatite atópica devem evitar o ar condicionado?
Parcialmente verdade. O ar condicionado contribui com a secura da pele, o que piora o quadro de quem tem a Dermatite Atópica. Se você trabalha em ambientes com ar condicionado, atenção redobrada com a hidratação. Em casa, procure manter as janelas abertas durante o dia para refrescar o ambiente. Mas em dias muito quentes, onde a temperatura leva a sudorese excessiva, o ar condicionado pode ser um bom aliado para evitar a irritação da dermatite com a sudorese. Lembrando sempre de hidratação a pele, ingerir bastante água e se possível associar o uso de um umidificador de ar. Existem ainda modelos de ar condicionado que são associados a umidificadores, esses são os ideias para uso de portadores de atopia.

Pacientes com dermatite atópica não devem tomar banho muito quente?
Verdade. Ficar muito tempo no chuveiro e debaixo da água quente deixa a pele mais seca e irritada. Dê preferência para os banhos rápidos, além de frios ou mornos. Não use buchas ou esfregue a pele, e nada de sabonetes perfumados.

Pacientes com dermatite atópica não podem entrar no mar ou piscina?

Depende. A água salgada tem efeito hidratante – que pode ser bom para quem tem dermatite atópica. Mas, o contato com o mar não é recomendado para quem apresenta a doença de forma moderada a grave, com feridas e infecções secundárias. Já na piscina, por conta do cloro, os banhos devem ser sempre seguidos de duchas e hidratação.

Pacientes com dermatite atópica não podem praticar esportes?
Mito. Apesar do suor gerado nas atividades físicas, que podem trazer incômodo para os pacientes com dermatite atópica, alguns cuidados básicos podem evitar os desconfortos.

Evitar praticar atividades ao sol e beber muita água durante o exercício é essencial. A aplicação de água termal ao longo do treino também pode ser uma boa. Além disso, consulte um especialista antes de começar a praticar esportes ou ir à academia para saber quais são as roupas e produtos adequados.

Saiba mais: curta nossa página no Facebook e fique sempre por dentro das nossas dicas de saúde. Ah, e caso você tenha alguma dúvida ou sintoma, não deixe de se consultar com seu dermatologista.

Compartilhe