Laxantes de mercado: entenda a diferença

24 de julho de 2020

Prisão de ventre, intestino lento, dores abdominais e dificuldade de evacuar são problemas que trouxeram os laxantes para dentro da sua rotina? Entenda a diferença entre os laxantes de mercado.

Laxantes de mercado: entenda a diferença

Todos sabemos que uma alimentação saudável, rica em fibras, a prática de exercícios físicos e uma boa hidratação são importantes e ajudam muito a prevenir a prisão de ventre. Contudo, existem outros fatores como estresse, gravidez, período menstrual, uso prolongado de remédios, entre outros, que afetam o nosso intestino mesmo quando adotamos essas medidas. E é nesse momento em que optamos pelo uso de algum medicamento para auxiliar no funcionamento do intestino.

É importante lembrar da importância de procurar um médico especialista para tratamentos que exigem medidas que vão além de uma mudança de comportamento (na alimentação, rotina de exercícios, ingestão de água etc.). Em alguns casos, os médicos indicam o uso de laxantes e nós estamos aqui para te ajudar a entender cada um deles.

Laxantes de mercado: entenda a diferença

Os tipos de laxantes

Laxantes fitoterápicos

Ao contrário do que muitos pensam, os laxantes fitoterápicos não estão isentos de provocar efeitos colaterais no intestino só por serem naturais. A maioria dos medicamentos fitoterápicos têm como principal componente o Sene, que age causando irritação nas terminações nervosas e, deste modo, estimulando o funcionamento intestinal. Essa irritação no intestino pode causar mais efeitos colaterais e a longo prazo, essa irritação pode levar a alterações importantes na sua rotina intestinal e até mesmo causar uma dependência deste tipo de medicação para garantir o funcionamento do intestino.

Laxantes a base de lactulose

Outro dos tipos de laxantes são os à base de lactulose. Por ser uma substância com alta osmolaridade, esse tipo de laxante “puxa” a água para dentro do intestino, promovendo maior hidratação e aumentando, assim, o tamanho do bolo fecal e estimulando o funcionamento intestinal. Apesar de serem menos agressivos do que os fitoterápicos com Sene, por exemplo, existem alguns problemas relacionados a estes laxantes porque possuem uma grande quantidade de açúcares em sua fórmula, podendo causar distensão e dor abdominal, acúmulo de gases e aumento nos níveis de glicose no sangue.

Laxantes osmóticos

Possuem, em sua fórmula, uma substância chamada macrogol, que age no intestino causando amolecimento das fezes e aumentando assim a frequência de evacuações sem provocar efeitos irritativos, produzir gases em excesso, desconforto abdominal e nem aumentar os níveis de glicose no sangue. Essas características permitem o uso por períodos prolongados e, por ser utilizado habitualmente uma vez ao dia, é de fácil uso.

Agora que você já conhece como cada tipo de laxante atua no funcionamento do seu intestino, já pode fazer uma escolha mais consciente na hora de comprar. Mas lembre-se: a orientação médica é indispensável para o tratamento de sintomas graves de prisão de ventre, constipação, dificuldade de evacuar e desconfortos abdominais.

Fonte:
https://bit.ly/3ga1aVb
https://bit.ly/3eJUxbD

Compartilhe