Laxantes osmóticos: como funcionam e quais seus benefícios

18 de dezembro de 2020

Inchaço, dor e desconforto abdominal, excesso de gases, mau humor e até mesmo sangramento ao evacuar são sintomas da constipação intestinal. A prisão de ventre é uma condição que faz parte da rotina de cerca de 30% dos brasileiros e causa um extremo desconforto para quem sofre com a situação. Segundo a Sociedade Brasileira de Coloproctologia, a constipação intestinal é, geralmente, causada por alguma disfunção física ou da própria anatomia do aparelho intestinal. Os laxantes são uma alternativa popular e frequentemente utilizada para combater a prisão de ventre. Conheça os tipos de laxantes.

 

Laxante fitoterápico
São, em sua maioria, à base de Sene, um componente que age causando irritação nas terminações nervosas do intestino para estimular o funcionamento. Mesmo sendo uma planta, sua forma de agir irritando o intestino, pode causar diversos efeitos colaterais indesejados e, a longo prazo, pode levar a importantes alterações na sua rotina de evacuação, aumento de dosagens para obter o mesmo efeito e até mesmo dependência.

Laxante à base de lactulose
A lactulose é uma substância com alta concentração osmótica. Os laxantes com essa composição agem “retendo” a água no intestino, aumentando o tamanho do bolo fecal e estimulando o funcionamento do intestino. Ainda que menos agressivos do que os laxantes fitoterápicos, os laxantes à base de lactulose precisam ser administrados mais de uma vez ao dia e possuem uma grande quantidade de açúcares, que podem causar o acúmulo de gases, inchaços, dores abdominais, o aumento dos níveis de glicose no sangue, entre outros problemas.

Laxante osmótico
Além dos dois tipos citados acima, temos o laxante osmótico, não irritante age extraindo a água das paredes do intestino e direcionando-a para seu interior, com isso amolecendo as fezes e aumentando a frequência de evacuações de uma maneira muito mais fácil. Os laxantes osmóticos não provocam efeitos irritativos, não estimulam a produção de gases, não promovem desconforto abdominal e nem aumentam os níveis de glicose do sangue, o que permite seu uso por períodos prolongados. O Muvinlax, é um deles, que pode levar apenas de 3 a 6 horas para fazer efeito, promovendo alívio rápido e com menos tendência a efeitos colaterais como cólicas, inchaços e gases.

Compartilhe