Dicas para prevenir a prisão de ventre

01 de fevereiro de 2020

Existem dicas para prevevir prisão de ventre? Não há algo mais chato do que querer, porém ter dificuldade de evacuar. É o caos! A pessoa tenta, sofre, e nada – ou quase nada. Engana-se quem crê que este incomodo seja exclusivo das mulheres. Apesar de ser o grupo mais afetado, o problema não é apenas delas, acometendo ambos os sexos e todas as faixas etárias.

Caracterizada pela dificuldade em defecar, a prisão de ventre não é uma doença específica, e sim um sintoma.
De acordo com a Sociedade Brasileira de Coloproctologia, geralmente a constipação intestinal não é provocada por um distúrbio de ordem física ou anatômica do trato intestinal. A causa mais comum é a propulsão difícil do bolo fecal em seu caminho em direção ao reto, sendo responsável por 85% ou mais dos casos de constipação e provocada pela ingestão alimentar pobre em fibras vegetais e líquidos.

A SBCP cita ainda outros fatores que podem estar associados a constipação: sedentarismo ou falta de exercícios físicos, ansiedade, depressão, o hábito de adiar a ida ao banheiro e os efeitos adversos de algumas medicações. Sintomas como fezes endurecidas, irregularidade ou ausência de evacuação, distensão ou dor abdominal e formação em excesso de gases são características comuns da prisão de ventre. Já quando a prisão de ventre está acompanhada de outras manifestações como perda de peso, ausência de apetite, falta de desejo, dor, cólicas e sangramento, a constipação pode ser entendida como “sinal de alarme”, indicando a necessidade de avaliação médica.

Para melhorar a condição da constipação intestinal diversas mudanças no estilo de vida são necessárias. Confira agora algumas dicas simples para ajudar a prevenir a prisão de ventre:

Coma alimentos que sejam laxantes naturais: que tal estimular o funcionamento do intestino acrescentando em sua dieta linhaça e farelos ricos em fibras? Aposte ainda no consumo de mamão e ameixa (que estimulam o peristaltismo), abóbora, verduras de folhagem escura e frutas com o bagaço (como a laranja). Evite consumir alimentos industrializados, cereais refinados, frutas com fibras solúveis (como a maçã e a goiaba) e alimentos gordurosos ou condimentados. Quanto ao café, cuidado. Apesar de possuir gastrina, um hormônio benéfico para estimulação intestinal, seu alto consumo tem efeito diurético, o que favorece a prisão de ventre.

Ingerir mais líquido: beber dois litros de água ajuda a resolver este e outros tantos problemas físicos, como dor de cabeça, por exemplo.

Consuma probióticos: microrganismos que ajudam a equilibrar a nossa flora intestinal, os probióticos estão presentes em diversos iogurtes e leites fermentados. Também há opção de consumo em cápsulas, com o mesmo efeito.

Controle o seu nível de estresse: as emoções estão ligadas ao funcionamento do intestino. Assim, tente relaxar, procurando realizar atividades que trazem prazer e calma.

Pratique atividade física: alguns estudos comprovam que sedentários e acamados possuem mais chance de ter um intestino preguiçoso. Ainda que seja uma caminhada, mexa-se.

Não segure: evacuar quando o corpo pede é de extrema importância para não retardar o hábito intestinal nem ressecar as fezes.

Se nenhuma dessas dicas auxiliar na evacuação, procure seu médico.
Seguindo estes simples cuidados, você estará no caminho certo para ter uma vida mais completa, tranquila e saudável.

Referencias:
https://bit.ly/2VO4mNx
https://bit.ly/3cEMFXH
https://bit.ly/2yEr0zZ
https://bit.ly/2KC0hXT

Compartilhe