Quais os cuidados que mulheres grávidas e que amamentam devem ter na pandemia?

31 de julho de 2020

Apesar de não ser considerado grupo de risco da Covid-19, mulheres grávidas devem seguir as mesmas orientações da população geral, como lavar as mãos e manter o isolamento social. Para os bebês que mamam, a mãe não deve interromper o aleitamento materno mesmo que com sintomas – mas é preciso cuidados.

 

 

 

 

 

 

Grupo de risco
As gestantes não fazem parte do grupo de risco para desenvolverem a doença da forma mais grave, porém, a ginecologista Dra. Thalita Domenich alerta: é importante seguir as mesmas orientações da população em geral, lavando sempre as mãos, mantendo-se em isolamento social, respeitando o distanciamento de 2 metros e usando máscara ao sair de casa. A ida ao pronto-socorro deve acontecer apenas em casos de falta de ar e febre alta, sempre informando o obstetra e seguindo o pré-natal. “A vacinação contra a influenza é muito importante, já que neste caso sim, as gestantes são consideradas grupo de risco”, lembra Dra. Thalita.

Transmissão para o bebê
Apesar do vírus ser novo, alguns estudos vêm sendo realizados com pequenos grupos de pacientes, como feito pela equipe de pesquisadores de Wuhan, primeiro epicentro da doença, na China. De 33 mães infectadas pelo coronavírus, somente três recém-nascidos apresentaram sintomas da doença e nasceram com pneumonia, mas se recuperaram na terapia intensiva. “Ainda não temos estudos satisfatórios, por isso é importante manter isolamento social e lavar constantemente as mãos”, afirma a especialista.

Amamentação
“O aleitamento materno não deve ser interrompido mesmo que a mãe esteja com suspeita ou com a confirmação do vírus e em boas condições clínicas”, afirma a médica. No entanto, ela ressalta a importância do uso de máscara ao amamentar e lavar frequentemente as mãos, para que não ocorra a transmissão ao bebê. Outra opção, caso a mãe contaminada opte por não manter a proximidade com o bebê, é a coleta do leite materno.

Compartilhe