Guia de saúde mental no home office

31 de julho de 2020

As autoridades mundiais de saúde são bem claras na orientação sobre como controlar a pandemia: ficar em casa! Mas estar restrito à moradia por tantos dias seguidos tem sido uma experiência desafiadora para muita gente. Pensando em ajudar você a manter a saúde mental em ordem durante a quarentena, pedimos algumas dicas para a Dra. Giuliana Cividanes. Ela explica que o isolamento social por si só já pode ser um fator desencadeante da ansiedade. “O contato e a troca com outras pessoas são necessários para balizar nosso comportamento”, alerta a médica. Confira as sugestões:

Fique em contato

“Sabe aquela pausa para o cafezinho com os colegas do trabalho, que ajuda a dar uma relaxada ao longo do dia? Agora esse momento pode ser uma pausa para uma rápida conversa em família”, sugere a médica. Aproveite para perguntar o que as outras pessoas da casa estão fazendo, se as crianças estão estudando… falar com a família e com os amigos por telefone ou vídeo-chamada também auxiliam.

guia home office

 

 

 

 

 

 

Restrinja o consumo de notícias

Não fique 100% do tempo ligado nos noticiários e nas redes sociais. “Existe hoje uma queda de braço sobre o que é certo ou errado, mas entrar nessa onda só tende a gerar mais nervosismo”, aconselha Dra. Giuliana. O ideal é ver as notícias uma ou duas vezes ao dia e buscar informações em fontes confiáveis.

Mantenha os vínculos <3

Reserve o final do dia ou um momento tranquilo para telefonar ou fazer chamadas por vídeo com amigos e parentes distantes. Procure conversar sobre outras coisas além da pandemia, dê risada, lembre de momentos marcantes. Mantenha os laços com as pessoas que ama.

Faça atividade física

Tem gente que reclama não ter tempo para se exercitar, então, agora é a hora! Vale desde uma sessão de alongamento no quintal ou uma série de polichinelos na varanda, o importante é se mexer dentro do espaço disponível. A psiquiatra lembra o ditado: “mente sã, corpo são”.

Não descuide da alimentação

Aproveite o tempo em casa para preparar refeições frescas. Mantenha uma boa alimentação, com variedade de legumes, verduras e frutas, e hidrate-se ao longo do dia. Reduza o consumo de bebidas estimulantes como café ou refrigerantes à base de cola.

Terapia  pode ajudar

A psicoterapia por teleconferência já é uma realidade, mas respeitando a regra de uma consulta presencial para cada dez consultas online. Porém, o Conselho Federal de Psicologia autorizou que neste momento 100% do acompanhamento seja feito de maneira remota, sem a necessidade da sessão em consultório.

Tenho ansiedade e/ ou depressão, o que devo fazer?

Para quem tem diagnóstico, o confinamento pode agravar o quadro. Por isso, é importante não abandonar o tratamento e continuar com a medicação prescrita. O Conselho Federal de Medicina liberou a teleconsulta para que pacientes possam continuar tendo acompanhamento médico mesmo na quarentena. No caso de medicamentos controlados, o médico pode emitir e enviar ao paciente uma receita com certificação digital. Outra alternativa é pedir que o médico deixe a prescrição no consultório para ser retirada por algum familiar ou amigo. Lembrando que segundo norma da Anvisa, durante a pandemia, o médico pode prescrever o remédio para o período de até 90 dias.

Aceite o inevitável

As mudanças na rotina somadas às dúvidas sobre o futuro aumentam a angústia existencial de cada um. Vou ficar doente? Qual o impacto econômico dessa crise? Todas essas questões alimentam a ansiedade. Tudo que puder ser feito para reduzir essa sensação é bem-vindo. “Não podemos agir pelos outros ou reduzir o estresse coletivo, mas podemos trabalhar para reduzindo a ansiedade individual”, conclui a médica.

Gerencie melhor o seu tempo

Veja as nossas dicas!

 

Compartilhe