Síndrome de Burnout: a importância de um trabalho saudável

17 de fevereiro de 2021

A síndrome de Burnout é caracterizada pela exaustão emocional, pelo distanciamento afetivo e pela baixa realização profissional. Segundo a CID-11 (décima primeira revisão da Classificação Internacional de Doenças), é o resultado de um estresse crônico decorrente de uma rotina de trabalho exaustiva e mal gerenciada.

síndrome de burnout

Burnout, trabalho e saúde mental
O conceito de Burnout surgiu nos anos 1970 a partir da expressão em inglês que, ao pé da letra, significa combustão completa para designar a síndrome decorrente da exaustão e do estresse crônico, a princípio oriundos do trabalho dos profissionais de saúde. Atualmente, a também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional é um distúrbio que, segundo uma pesquisa feita pela ISMA (International Stress Management Association), afeta cerca de 30% dos brasileiros e é tido como um problema de saúde pública no mundo todo.

Há três dimensões que caracterizam a doença: exaustão (esgotamento emocional e físico); despersonalização, distanciamento afetivo ou cinismo (reações negativas em relação ao trabalho); e a perda de sentido de realização profissional (sentimentos de incompetência, fracasso e queda na produtividade). Sendo uma questão de saúde pública, suas consequências não afetam somente a saúde individual, mas também podem ter efeitos consideráveis na esfera socioeconômica decorrentes da ausência constante no trabalho, rotatividade de funcionários e aumento de gastos previdenciários. Estudos indicam que a organização do trabalho e a relação com ele em si são fatores determinantes para o desenvolvimento da síndrome.

Sendo o trabalho uma atividade que ocupa grande parte do nosso tempo no dia a dia, é de se imaginar o peso que ele exerce sobre a condição de saúde mental de cada um. Desequilíbrios como a síndrome de Burnout apontam para o limite físico e mental do funcionário, níveis excessivos de estresse e podem gerar grandes prejuízos pessoais e também para a própria empresa como, por exemplo, a queda na qualidade dos serviços prestados, a ausência de profissionais da equipe e outros.

Sinais e sintomas               

  • Esgotamento, cansaço excessivo, físico e mental
  • Dores de cabeça recorrentes
  • Falta ou excesso de apetite
  • Dificuldades de concentração
  • Alterações na rotina do sono
  • Sentimentos de fracasso, incompetência, incapacidade, derrota e insegurança
  • Negatividade e desolação
  • Alterações de humor repentinas e constantes
  • Solidão, isolamento social, sensação de alienação e de ser uma presença desagradável
  • Pressão alta
  • Preocupação excessiva
  • Dores musculares (principalmente nas regiões lombar e cervical)
  • Problemas de ordem gastrointestinal
  • Ansiedade
  • Alterações no ritmo cardíaco
  • Náuseas

Assim, a síndrome de Burnout é o resultado de níveis elevados de estresse dentro do contexto ocupacional, não se aplicando o diagnóstico para outras áreas da vida. Com o número de diagnósticos cada vez mais elevados, é um distúrbio que deve ser levado com seriedade e tem sido alvo de estudos e pesquisas epidemiológicas.

Se você identificar em si mesmo alguns dos sintomas aqui descritos, procure ajuda profissional.

 

Referências

ANAMT – Associação Nacional de Medicina do Trabalho. 30% dos trabalhadores brasileiros sofrem com a síndrome de burnout [internet]. 2018 [acesso em 5 fev 2021]. Disponível em: https://www.anamt.org.br/portal/2018/12/12/30-dos-trabalhadores-brasileiros-sofrem-com-a-sindrome-de-burnout/#:~:text=s%C3%ADndrome%20de%20Burnout-,30%25%20dos%20trabalhadores%20brasileiros%20sofrem%20com%20a%20s%C3%ADndrome%20de%20Burnout,estresse%20do%20dia%20a%20dia.

Isabela Vieira, Jane Araújo Russo. Burnout e estresse: entre medicalização e psicologização [internet]. Physis: Revista de Saúde Coletiva n29 (02), 2019 [acesso em 5 fev 2021]. Disponível em: https://scielosp.org/article/physis/2019.v29n2/e290206/

Ministério da Saúde. Síndrome de Burnout: o que é, quais as causas, sintomas e como tratar [internet]. [Acesso em 5 fev 2021]. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-mental/sindrome-de-burnout#:~:text=S%C3%ADndrome%20de%20Burnout%20ou%20S%C3%ADndrome,justamente%20o%20excesso%20de%20trabalho.

Blog da Saúde – Ministério da Saúde. Síndrome de Burnout: quando o esgotamento profissional vira doença [internet]. 2018 [acesso em 5 fev 2021]. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53636-sindrome-de-burnout-quando-o-esgotamento-profissional-vira-doenca

Portal Pebmed. Síndrome de Burnout entra na lista de doenças da OMS [internet]. 2019 [acesso em 5 fev 2021]. Disponível em: https://pebmed.com.br/sindrome-de-burnout-entra-na-lista-de-doencas-da-oms/

Telma Ramos Trigo, Chei Tung Teng, Jaime Eduardo Cecílio Hallak. Archives of Clinical Psychiatry (São Paulo): Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos [internet]. Rev. psiquiatr. clín. vol34 no. 5, 2007 [acesso em 5 fev 2021]. Disponível em:  https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832007000500004

OPAS Brasil – Organização Pan-Americana de Saúde. CID: burnout é um fenômeno ocupacional [internet]. 2019 [acesso em 5 fev 2021]. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5949:cid-burnout-e-um-fenomeno-ocupacional&Itemid=875

 

 

 

 

Compartilhe