Agência regulatória japonesa flexibiliza restrição de dirigir para pacientes em tratamento de depressão e ansiedade

06 de abril de 2017

Compartilhamos a avaliação da agência regulatória japonesa PMDA (Pharmaceutical and Medical Devices Agency) a respeito da flexibilização da restrição de pacientes em conduzir veículos automotivos ou realizar atividades que requerem atenção durante o tratamento de síndromes depressivas e transtornos de ansiedade. Esses medicamentos pertencem à classe de inibidores seletivos da recaptação da serotonina e podem causar sonolência, boca seca, dor de cabeça, náuseas, entre outros sintomas.

A conduta foi adotada no Japão a partir da avaliação da agência regulatória local de estudos clínicos sobre o efeito dessa classe de medicamentos na condução de veículos comparando-os com reações adversas relatadas no país e ocorrências de acidentes automobilísticos. A conclusão foi que esse tipo de medicamento não afeta a capacidade de dirigir e não houve nenhum caso de acidente automobilístico no Japão  relacionado a estes possíveis efeitos com o uso do medicamento.

Ressaltamos que esse é o posicionamento feito pela agência Japonesa e que, no Brasil, nenhuma publicação ou alteração foi requerida pela Anvisa para essa classe medicamentosa. Recomendamos que se deve sempre seguir as recomendações descritas nas bulas dos medicamentos.

Caso tenha interesse em ler a publicação feita pela agência japonesa, clique aqui.

 

Compartilhe