Saúde respiratória das crianças

30 de janeiro de 2018

Com o verão em alta, muitos pais acabam se preocupando menos com a saúde respiratória dos pequenos. Mas a verdade é que a estação mais quente do ano também traz riscos para o nariz de crianças e adultos. Confira as dicas da otorrinolaringologista Maura Neves, do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo.

1. Cuide do nariz todos os dias (até embaixo d’água)

Estudos comprovam que lavar a mucosa nasal com soluções salinas pelo menos duas vezes por dia reduz em até 40% a frequência de problemas respiratórios, por isso, o hábito vale para o ano todo. No verão, especialmente, os pequenos costumam ir mais às piscinas, que – acredite – também podem desencadear episódios alérgicos. “O cloro presente na água atua como irritante nasal, causando crises de rinite. Assim, é bom reforçar a lavagem nasal após a brincadeira”, afirma Dra. Maura.

2. Atenção ao ar-condicionado

Esse aliado nos dias mais quentes pode se tornar um inimigo caso não receba a manutenção correta – principalmente para as crianças de 1 a 3 anos, mais propensas a infecções respiratórias. Por isso, faça a limpeza periódica do aparelho, para evitar a propagação de poluentes, fungos, vírus e bactérias. “Ambientes climatizados também ressecam o nariz, alterando o sistema de defesa e facilitando infecções respiratórias e crises alérgicas”, diz a médica. Nesses casos, garanta uma boa ingestão de água para compensar.

 3. Lave as mãos

Embora a circulação dos vírus causadores de gripes e resfriados seja menor nessa época do ano, é importante incentivar a crianças a lavarem sempre as mãos, principalmente após as brincadeiras e antes das refeições. A atenção deve ser redobrada quando se trata dos mais novos, que costumam levar as mãos e objetos à boca.

4. Vacinas em dia

Cheque se todas as imunizações da criança estão atualizadas. “Com a evolução vacinal dos últimos anos, é possível proporcionar aos pequenos uma infância mais segura e livre de infecções. Entre as principais vacinas, estão aquelas contra rotavírus, pneumococo, meningococo, hemófilos, gripe, febre amarela, tuberculose e hepatite A e B”, elenca Dra. Maura.

 5. Na volta às aulas

O período letivo é quando as crianças estão mais propensas a infecções, principalmente as respiratórias. Por isso, garanta a lavagem nasal das crianças com soluções salinas pelo menos duas vezes ao dia, como forma de prevenção. Um check-up antes da volta às aulas também é bem-vindo para saber se a saúde está em ordem.

Compartilhe